NOSSA TRAJETÓRIA

Origem
     O projeto de extensão Vila Paula tem sua origem no Coletivo de Estudos Paideia, coordenado pelo professor Gastão Wagner de Sousa Campos, professor titular do departamento de Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Foi nesse grupo de pesquisa que foi concebido o projeto "Formação de Agentes para construção de Cidadania, Saúde e Democracia por meio do Método Paideia”, submetido ao 11˚ EDITAL PEC, da Pró-reitoria de Extensão e Cultura, em 2017. Esse projeto tinha como objetivo principal a formação de agentes que fossem capazes de criar uma nova realidade social no território, na qual a saúde fosse compreendida como um bem humanitário, pluri e transpartidário, democrático, de todos para todos. Era o primeiro projeto de extensão que seria realizado na ocupação Vila Paula.  
   O Método Paideia ou Método da Roda visava ampliar a capacidade das pessoas de lidar com afetos, saberes e relações de poder, e, dessa forma, empoderá-las no sentido de reivindicar e usufruir de direitos básicos como o direito à saúde, moradia, saneamento básico, educação, lazer e trabalho.
   No início de 2018, o professor Rubens Bedrikow, docente do departamento de Saúde Coletiva e membro do Coletivo de Estudos Paideia, conheceu a ocupação Vila Paula durante atividades didáticas do submódulo de Saúde Coletiva dia disciplina MD758 - Atenção Integral à Saúde, que tem como um dos seus cenários de práticas o Centro de Saúde Cássio Raposo do Amaral e o território sob sua responsabilidade sanitária.

    Ao acompanhar alunos do 4˚ ano de medicina em visita domiciliar dentro da ocupação, percebeu que seria pertinente e relevante para aquela comunidade levar o projeto de extensão para lá. 

De projeto a programa
    A progressão no sentido de transformar-se em programa, isto é, adquirir um caráter mais permanente, amplo, pode ser considerado um percurso natural diante do fortalecimento progressivo do vínculo entre extensionistas e comunidade, e a continuidade e longitudinalidade das ações. Paralelamente, apresentamos nosso projeto ao secretário municipal de saúde de Campinas.  
   
As atividades de extensão
     Mediante atividades envolvendo desenhos, dobraduras, música, brincadeiras infantis como caça ao tesouro, morto-vivo, ovo choco, entre outras, e muitos colos e abraços, fomos conhecendo as características, problemas e potências da ocupação Vila Paula, graças à espontaneidade e proximidade das crianças.    
    Optamos por uma mudança de rumo em relação à proposta original de fazer rodas de conversa para discutir cidadania, saúde e democracia, e decidimos continuar realizando atividades com as crianças, pois percebemos que estávamos realizando trocas muito ricas do ponto de vista de saberes, modos de vida e afetos, e que as crianças “nos contavam”, à sua maneira, sobre como é viver numa ocupação.  
    Outra vertente do projeto foi realizar assistência em saúde, em parceria com a equipe da unidade básica de saúde de referência, o que se intensificou durante a pandemia de Covid-19.