Dia das crianças 

    O dia 12 de outubro de 2018 estava se aproximando. Então, tivemos a ideia de fazer uma surpresa para os pequenos da Vila Paula: dar presentes para todos no dia das crianças!

Pensamos então em arrecadar dinheiro rifando cestas de chocolates, e alguns colegas logo imprimiram os números e distribuímos entre nós para começarmos as vendas. Cada um oferecia, apresentava o nosso projeto de extensão e convencia a maioria do seu círculo de amigos a comprarem pelo menos um número, até que todas as turmas já tinham ouvido falar que estávamos organizando “A rifa do Vila Paula”, e com isso tivemos muita adesão na faculdade. Mas também vendíamos para conhecidos, amigos e familiares das nossas cidades quando voltávamos para a casa aos finais de semana, o que foi uma grande divulgação do nosso projeto de extensão para além da comunidade da UNICAMP.

   Depois, com o orçamento garantido por meio das rifas e da ajuda de todos, aproveitamos os poucos horários livres das aulas na faculdade e nos organizamos para procurarmos pelos presentes. Comparamos os melhores preços pela internet, mas como a data já se aproximava, decidimos pesquisar pelas lojas do centro de Campinas. Fomos com alguns colegas no carro de um amigo e essa pequena viagem foi até uma oportunidade de apresentar Campinas para muitos deles que não conheciam a cidade, por só frequentarem a região onde se localiza a faculdade. 

    Após chegarmos ao destino, começamos então a nossa peregrinação. Seis jovens universitários passando de loja em loja, procurando, comparando preços e verificando se havia a quantidade necessária em estoque de caixinhas de giz de cera, cadernos de desenho, tubinhos de bolha de sabão e bolas de vinil coloridas. Depois de uma tarde inteira de pesquisas e análises de diversos produtos e lojas, chegamos no momento das negociações e depois de “pechinchar” o máximo que pudemos, conseguimos garantir os presentes para todas as crianças! Ou era o que pensávamos... pois alguns dias antes da festa descobrimos que o número de crianças que morava na Vila Paula era bem maior do que tínhamos calculado inicialmente, e precisaríamos de mais presentes. Corremos de novo para as lojas do centro e achar todos os itens na quantidade necessária foi um sufoco... mas no fim conseguimos. Quando já estávamos indo embora lembramos também de comprar saquinhos transparentes e fitinhas para fazermos todos os kits com os presentes.

    Nessa mesma noite de sexta-feira nos reunimos na casa de uma colega para montarmos os kits, colocando em cada saquinho um caderno de desenho, uma caixinha de giz de cera e um tubinho de bolha de sabão, finalizando com um laço azul os mais de 120 kits que preparamos. Enquanto isso, ficou para os meninos do grupo a função de encher as bolas com uma bomba manual, tarefa essa que precisou ser realizada através de um revezamento entre eles, de tanto esforço físico que exigia. No final, as mais de 120 bolas coloridas encheram um cômodo inteiro e lá passaram a noite, esperando o novo dia para serem entregues aos seus futuros donos, assim como nós passamos a noite organizando tudo para que no dia seguinte cada criança tivesse um dia especial. 

    E na manhã do sábado, mais um desafio: transportar tudo. Colocamos as bolas em grandes sacos plásticos e os presentes em várias caixas de papelão, mas precisamos de muitos carros voluntários para levarmos tudo até a Vila Paula.

   Chegando lá, as crianças correram em nossa direção para o aguardado abraço do reencontro e logo nos misturamos a elas nas suas brincadeiras, sorrindo e correndo para todos os lados. Também organizamos uma oficina de pintura de rosto, o que foi recebido com o maior entusiasmo pelas crianças, que logo estavam pedindo para se transformarem em gatinhos, borboletas, super heróis e vilões.

Além do nosso projeto de extensão outros projetos voluntários também participaram do evento e prepararam surpresas. A ocupação estava colorida com pula-pula, castelo inflável, bolhas de sabão gigantes, bexigas, palhaços, super heróis e princesas. E, para fazer o gosto da molecada, tinha cachorro quente, refrigerante, pipoca e algodão-doce.

    E então chegou a esperada hora de distribuir os presentes. Colegas organizando a fila, outros dando os kits para cada uma das crianças ansiosas para ver o que iriam ganhar. Por fim, ao vermos todos aqueles rostinhos felizes e sorrindo, soubemos que todo o nosso trabalho havia valido a pena.

Isabela Affonso e Bianca Campos